Brasil de fora da repescagem da Davis

Início    /    Tênis    /    Brasil de fora da repescagem da Davis
Por Raphael Favilla  •  08 de Abril de 2018

O Brasil não vai disputar a repescagem do Grupo Mundial da Copa Davis pela primeira vez após 13 anos. A equipe verde e amarela chegou ao último dia de confrontos contra a Colômbia com a vantagem em 2 a 1, após a vitória nas duplas com Marcelo Melo e Marcelo Demoliner. Mas Thiago Monteiro acabou derrotado no quarto jogo, e João Pedro Sorgi não resistiu ao duelo decisivo.

Pouco mais de dois meses depois de decidir a favor do time brasileiro contra a República Dominicana em Santo Domingo, Sorgi foi novamente escalado para um quinto jogo. Desta vez em Barranquilla, o jovem de Sertãozinho não repetiu a façanha e caiu diante do atleta da casa Alejandro González por 6/3 e 7/6 (7-0).

Enquanto Sorgi, jogador de 24 anos e 359º colocado, fazia apenas seu terceiro jogo de Copa Davis na carreira, o experiente González melhorou seu retrospecto no torneio. Ex-top 70 e atual 305º do ranking, o jogador de 29 anos marcou a sexta vitória em onze partidas defendendo a Colômbia na centenária competição entre países.

O Brasil não perdia um confronto de Zonal da Davis desde 2004, quando acabou rebaixado do Grupo I para o Grupo II após derrotas para Paraguai, Venezuela e Peru. Naquele ano, houve um boicote ao então presidente da CBT Nelson Nastás. Para enfrentar o time peruano em Brasília, foram escalados Ronaldo Carvalho (440º do ranking), Gabriel Pitta (726º), Alessandro Camarco (540º) e Leonardo Kirche (682º).

Foi também a primeira vitória dos colombianos sobre os brasileiros na história da Copa Davis após nove duelos entre as equipes.

O jogo

No Parque Central das Raquetes, em Barranquilla, o tenista brasileiro não soube aproveitar seu bom começo fora de casa. Sorgi teve chance em dois pontos seguidos de quebrar o serviço de Gonzalez, mas desperdiçou ambas as oportunidades.

O castigo não demorou a chegar. Logo no primeiro break-point a seu favor, o tenista colombiano não vacilou e abriu 4 a 2. Daí para frente jogo desenrolou melhor para o jogador da casa, que precisou de 46 minutos para fechar em 6 a 3.

O segundo set foi mais emocionante. Sorgi sofreu uma quebra em seu primeiro serviço. Na sequência, se recuperou quebrando Gonzalez. A partida ficou imprevisível, com os dois tenistas alternando bons e maus momentos. Assim, Sorgi conseguiu se segurar e levou a definição ao tie-break depois de um empate em 6 a 6.

O problema é que Alejandro Gonzalez chegou mais inteiro fisicamente e ainda contava com a torcida a seu favor. João Pedro Sorgi lutou até o fim, se mostrou guerreiro, mas sucumbiu ao cansaço e ao abalo psicológico pelas coisas que não vinham acontecendo como ele esperava. Dessa forma, a Colômbia pôde fazer a festa diante de uma vitória por 7 a 0 no tie-break.

Publicidade