Brasileiro derruba campeão e busca vaga na final da Copa Rio Beach Tennis

Início    /    Outras Raquetes    /    Brasileiro derruba campeão e busca vaga na final da Copa Rio Beach Tennis
Por Raphael Favilla  •  07 de Maio de 2017

Melhor jogador do Brasil, atual sétimo do mundo, o carioca Vinicius Font e seu parceiro, o jogador de Aruba, Aksel Samardzic, levantaram o público que lotou a quadra central da Copa Rio Beach Tennis na praia de Piratininga, em Niterói (RJ), para garantirem vaga na semifinal do segundo maior evento do esporte no mundo com 708 atletas de 12 países. A competição terá as semifinais do masculino e feminino a partir das 9h30 e finais a partir das 12h com entrads gratuita ao público. O evento conta pontos pro ranking mundial da Federação Internacional de Tênis com premiação de US$ 10 mil.

Font e Smardzic, cabeças de chave 2, derrotaram o Pelé do Beach Tennis, o italiano Alex Mingozzi, maior campeão do esporte com mais de 150 títulos, e seu parceiro da Itália, o jovem Teo Casadei, de 23 anos, por 6/4 6/3 em partida apertada na rodada noturna: "É muito bom jogar em Aruba porque a torcida é minha por conta do Aksel agora jogar em casa é outro sabor, é muito bom, espetacular", afirmou Font que foi número 1 do mundo entre 2014 e 2015 justamente quando atuava com Mingozzi: "Mingozzi é um cara sensacional, um enorme jogador, somos muito amigos, um ajudou muito o outro durante nossa parceria. Para a semifinal será outro jogo como esses que tive hoje, muito disputado, nervoso, é descansar bem e me preparar para buscar a vaga na final", afirmou o brasileiro.

Font e Samardzic enfrentam uma dupla brasileira que vem crescendo no circuito, os campeões Pan-Americanos, Ralff Abreu, natural de Niterói (RJ), e o carioca Diogo Carneiro, de apenas 21 anos, que derrotaram a dupla dos italianos Nicola Strano e Mikael Alessi por 6/1 6/4. Abreu e Carneiro vêm embalados pela conquista em João Pessoa no último final de semana: "Eles começaram um pouco tensos, as condições nos favoreciam, sacamos muito bem", apontou o jovem Diogo, de 22 anos seguido pelo niteroiense Ralff que tinha uma torcida de sua família e amigos: "Só tenho que agradecer a galera que ficou até de noite assistindo e vibrando, até desconcentra um pouco às vezes, mas é uma emoção totalmente diferente essa torcida aqui em casa, melhor mas também mais difícil porque você conhece todo mundo e o pessoal te para, pergunta informação o tempo todo, mas é muito gratificante. Agora contra o Aksel e o Vini, são amigos, são irmãos, quem jogar melhor nos momentos importantes vai levar".

De roxo Ralff e de azul Diogo / Crédito: Cleon Medeiros De roxo Ralff e de azul Diogo / Crédito: Cleon Medeiros

Os santistas Thales Santos e Marcus Ferreira, respectivos número 10 e 13 do mundo, passaram pela parceria do italiano Matthia Burnacci e o brasileiro Luiz Gimpel com parciais de 6/3 6/4 e encaram o tetracampeão mundial, Marco Garavini, 6º do ranking e que já terminou três temporadas no topo do mundo, e Luca Cramarrossa, 8º: "Jogamos super bem nesse primeiro dia, o último torneio nos ajudou muito a pegar ritmo para chegarmos bem aqui . Amanhã temos uma dupla vencedora e favorita ao título, mas estamos confiantes", disse Thales que junto com Marcus teve três match-points na capital paraibana para derrotar Garavini e outro parceiro, Nicola Strano, mas acabou sucumbindo: "O Cramarrossa tem um estilo mais agressivo e rápido, mas é menos regular que o Strano, teremos que sacar bem e sermos bem regulares para segurar o jogo deles, vamos sentar e montar uma tática para poder sair com a vitória. Nunca enfrentamos especificamente essa dupla, será um jogo bem disputado".

Garavini e Cramarrossa marcaram um duplo 6/0 em Vinicius Chaparro e Airton Rodrigues nas quartas de final: "Fomos incríveis eu e meu parceiro jogamos muito bem o dia todo, até nos surpreendeu um pouco, talvez Vinicius e o Airton estivessem um pouco mais nervosos que o habitual, sentiram talvez uma pressão do público, não sei. Amanhã semifinal jogo bem difícil, mas vamos em busca da vitória e depois do título", afirmou o beachtenista que levantou o Mundial em 2004, 2012, 2013 e 2014.

As semifinais do masculino começam às 10h30 e as do feminino largam a partir das 9h30.

Joana Cortez/Rafaella Miiller vencem Samantha Barijan/Marcela Vita e garantem vaga na semifinal

Cabeças de chave 1 e campeãs mundiais, única dupla não-italiana a vencer o torneio mais forte do planeta, a carioca Joana Cortez e a catarinense Rafaella Miiller venceram duelo brasileiro contra Samantha Barijan, ex-número 1 do mundo e ex-parceira de Joana, e Marcela Vita, por 2 sets a 0 com parciais de 6/1 6/2: "O placar não diz muito como foi o jogo, vários games de 40/40 que caíram para o nosso lado, colocamos nossa estratégia, erramos menos e acabou dando esse resultado, jogamos super bem", disse Joana que também liderou o ranking mundial.

A dupla enfrenta as cabeças de chave 6, dupla das também ex-líderes do ranking, a venezuela Patrícia Diaz e a alemã Maraike Biglmaier, que derrotaram a parceria das irmãs francesas Marie Eve e Mathilde Hoarau por 6/2 6/3 : "Vamos conversar sobre estratégia de jogo contra e definir para buscar a vaga na final. O torneio está ótimo, um dos melhores do Brasil e do mundo também, a organização bem bacana, tem muito público", destacou Miiller, de 23 anos.

Maraike comentou a vitória contra a dupla francesa, terceira favorita no evento: "Desde o primeiro ponto entramos concentradas e sabendo que seria um jogo difícil", apontou a alemã que junto com a sul-americana perdeu semana passada em João Pessoa para a dupla de Cortez/Miiller: "Temos que analisar bem o que fizemos de errado semana passada para corrigir nesta semifinal".

O público lotou as arquibancadas espalhadas pela praia, mas a germânica não teme o barulho brasileiro: "Especialmente curto muito o público, acho divertido, temos que concentrar nosso jogar o nosso melhor".

A outra semifinal terá a dupla cabeça de chave 2 formada pela italiana Eva D´Elia, atual terceira do mundo, e a italiana Veronica Visani, 11ª do mundo, que derrotou a parceria da brasileira Patrícia Lampert e da tcheca Barbora Jilkova, por 6/1 6/3. Elas pegam as brasileiras Nathália Font e Flávia Muniz que bateram a francesa Magali Garnier e a russa Liudmilla Nikoyan por 6/3 7/5.

Publicidade