Clezar e Monteiro avançam no quali, Rogerinho cai

Início    /    Tênis    /    Clezar e Monteiro avançam no quali, Rogerinho cai
Por Raphael Favilla  •  23 de Agosto de 2018

Dos três brasileiros que atuaram na primeira fase do qualificatório masculino do US Open, dois avançaram à segunda fase. Enquanto Thiago Monteiro e Guilherme Clezar venceram seus duelos, Rogério Dutra Silva foi eliminado ainda na rodada de estreia.

Thiago Monteiro precisou lutar por 2h14, mas garantiu a vitória na estreia. Número 1 do Brasil e 119º do ranking, o cearense de 24 anos derrotou o japonês Tatsuma Ito, 165º colocado, por 7/5, 6/7 (5-7) e 6/2.

A vitória na primeira rodada do quali em Nova York vale 8 pontos no ranking mundial, com possibilidade de 16 com mais uma vitória e 25 pela vaga na chave principal. Monteiro tem dez pontos a defender durante o Grand Slam norte-americano, já que entrou diretamente na chave no ano passado, mas caiu ainda na rodada de estreia.

Garantido na segunda fase do qualificatório, Monteiro enfrentará o francês Calvin Hemery. O cearense tem uma vitória e uma derrota contra Hemery, jovem de 23 anos e 189º do ranking, em jogos válidos pelo challenger francês de Blois em 2016 e 2017.

Já Clezar precisou de apenas 1h17 para derrotar o espanhol Ricardo Ojeda Lara, 284º colocado por 6/4 e 6/3. O gaúcho de 25 anos e 204º do mundo poderia ter um duelo nacional contra Rogerinho na fase seguinte, mas o experiente paulista de 34 anos e 151º colocado perdeu um duelo de 2h36 para o italiano Lorenzo Sonego, 117º, por 4/6, 6/2 e 7/6 (8-6).

O encontro entre Clezar e Sonego já aconteceu duas vezes, em challengers no saibro italiano. O gaúcho venceu o encontro mais recentes, este ano em Vicenza, e perdeu na temporada passada em Barletta. A vitória conquistada nesta quarta-feira vale 8 pontos no ranking, enquanto a vaga na terceira e última rodada do quali rende 16 pontos.

Na temporada, Clezar acumula uma vitória de chave principal de ATP em São Paulo, além de outras quatro em qualificatórios e de outros 17 jogos em nível challenger. Ele tenta disputar apenas o segundo Grand Slam da carreira, já que conseguiu furar o quali do US Open de 2016, antes de cair ainda na estreia da chave principal.

Por sua vez, Rogerinho tentava disputar a chave principal do US Open pelo sexto ano seguido. Três das cinco vitórias do paulista em chaves principais de Grand Slam foram conquistadas em Nova York. O ex-número 63 do mundo pode sofrer uma ligeira queda no ranking, já que defendia 10 pontos no Slam americano.

No feminino, a canhota paulista Beatriz Haddad Maia marcou as parciais de 7/6 (7-3) e 6/1 contra a australiana Olivia Rogowska e vai enfrentar a canadense Françoise Abanda.

Publicidade