Dia difícil, mas ótimo saldo final em NY

Início    /    Grand Slam    /    Dia difícil, mas ótimo saldo final em NY
Por Nittenis News  •  10 de Setembro de 2021


Depois de duas semanas de superação e grandes partidas, essa sexta-feira não teve exatamente o que os brasileiros esperavam ver nas quadras de Flushing Meadows. Ao lado do britânico Jamie Murray, Bruno Soares deixou escapar seu quinto título do US Open e ficou com o vice-campeonato, enquanto nas semifinais de duplas feminina um infortúnio pôs fim à campanha histórica de Luísa Stefani: ela se machucou durante a disputa do tiebreak ainda no primeiro set e, junto com a canadense Gabriela Dabrowski, teve que se retirar do jogo e da luta pelo título.


Na final de duplas masculina, Bruninho e Murray começaram bem a partida e, com uma quebra de saque, fecharam o primeiro set em 6/3. A dupla britânico-brasileira sacou muito bem e errou pouco, não dando assim quase chance alguma ao norte-americano Rajeev Ram e ao britânico Joe Salisbury, quarto cabeças de chave do torneio, na primeira parcial.


O panorama da partida, no entanto, mudou completamente já a partir do primeiro game do segundo set, quando Ram e Salisbury quebraram o serviço de Murray. Dali em diante, eles comandaram as ações com muita consistência nos saques e agressividade na rede, quebrando ainda o serviço de Bruno Soares no terceiro game e abrindo 4 a 0. Então só administraram seus games de saque para fechar a segunda parcial em 6/2 e empatar a partida.


O terceiro e decisivo set foi muito parecido com o anterior, começando com a quebra de serviço de Jamie Murray. Com uma quebra abaixo e menos intensos que os adversários, Bruninho e Murray não tiveram forças pra reverter a situação e ainda tiveram seu serviço quebrado mais uma vez, perdendo o set novamente por 6 a 2.


O US Open foi o primeiro torneio de Bruno após ser diagnosticado com apendicite durante os Jogos Olímpicos de Tóquio e ter que passar por cirurgia. No total, o brasileiro ficou sem disputar torneios por dois meses, com o último sendo em Wimbledon.  Apesar da perda do título, Soares preferiu ver o lado positivo do desempenho da dupla no torneio e a sua superação pessoal para se recuperar fisicamente.



Murray, Soares, Salisbury e Ram posam com os troféus do US Open


- Obviamente estou triste de ter estado tão perto de um título de Grand Slam e ter escapado, mas sempre busco olhar pelo lado positivo também. Depois de tudo o que aconteceu comigo, da apendicite e todo esse tempo fora das quadras, estar em uma final de Slam é realmente especial. E sem dúvidas foi o nosso melhor torneio do ano, jogamos melhor que na Austrália. Agora estamos na briga por uma vaga no ATP Finals, então é aproveitar esse embalo e levar isso para esse fim de temporada - ressaltou o mineiro, por meio de sua assessoria.


Com a campanha em Nova Iorque, Bruno e Jamie subiram para a oitava colocação na corrida do Finals e tem como próximo desafio o torneio de Indian Wells, também nos Estados Unidos.


- Vim para cá só querendo aproveitar o momento e deu no que deu. Queria agradecer o carinho da torcida e todas as mensagens que recebi nessas duas semanas. Agora é levantar a cabeça e seguir firme - concluiu Bruninho.


Esta foi a sexta final de Grand Slam nas duplas masculinas de Bruno Soares. O mineiro foi campeão de major em três oportunidades: no Australian Open, em 2016 (com Jamie Murray), e duas vezes no próprio US Open, em 2016 (Murray) e 2020 (Mate Pavic). Nas mistas, Bruno também foi campeão em três oportunidades: US Open 2012 (com Ekaterina Makarova) e 2014 (Sania Mirza), e Australian Open em 2016 (Elena Vesnina). Ao todo, Bruno Soares é dono de 34 troféus em 67 finais disputadas no circuito da ATP.


Contusão tira de Luísa a chance da primeira final de Slam


Pela chave de duplas feminina, Luísa Stefani entrou em quadra com sua parceira, Gabriela Dabrowski, ainda com o jogo de Bruno Soares em andamento. A paulistana e a canadense começaram bem um jogo muito disputado, e conseguiram uma quebra de serviço das jovens norte-americanas Coco Gauff e Caty McNally, no quinto game, abrindo 3 a 2. Porém, logo na sequência tiveram o saque de Dabrowski também quebrado, e a partida seguiu muito equilibrada até o tiebreak, com mais algumas chances de quebra de Gauff e McNally.


Foi quando o imponderável se apresentou e a brasileira, em uma jogada aparentemente normal na rede, sentiu uma contusão na perna (ainda não se sabe ao certo se no joelho ou tornozelo) e caiu na quadra. Luísa foi atendida ali mesmo e ainda tentou se levantar, porém mal conseguiu apoiar a perna no chão.


Fim do sonho do título do US Open 2021 para a brasileira, que junto com sua parceira tiveram que se retirar e deixar a vaga na decisão para as donas da casa, que agora enfrentam a australiana Samantha Stosur e a chinesa Zhang Shuai.


Apesar da frustração pela falta de sorte, é importante registrar que Stefani e Dabrowski fizeram mais uma vez, pela quarta semana consecutiva, uma campanha espetacular, e se não fosse a contusão da brasileira poderiam ter chegado à final e conquistado o sonhado título do US Open.


Ficam aqui o reconhecimento pelo esforço e talento de Luísa, bem como a torcida pela sua pronta recuperação.


Publicidade