Monfils bate Cilic, Fognini avança e reclama do Rio Open

Início    /    Tênis    /    Monfils bate Cilic, Fognini avança e reclama do Rio Open
Por Raphael Favilla  •  23 de Fevereiro de 2018

Interrompida por causa da forte chuva que assolou o Rio na noite desta quarta-feira, a partida entre Gael Monfils e Marin Cilic foi completada nesta quinta-feira. O francês fez uma partida ao seu estilo, com belas jogadas, e o croata lutou o quanto pôde, mas não resistiu ao inspirado "showman", que venceu por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 7/6 (8), em 2h05 de confronto.

O jogo parou em momento decisivo, no tiebreak do segundo set, com 7-7 no placar e saque de Cilic, que havia salvado um match-point instantes antes. No retorno, o croata confirmou o serviço, mas na sequência foi a vez de Monfils fazer a sua parte e abrir 9-8. O cabeça de chave número 1 do Rio Open perdeu o saque no 18º ponto do desempate e assim o duelo.

Nas quartas de final, Monfils terá pela frente Diego Schwartzman (23º do ranking), contra quem tem uma vitória no único jogo entre eles, em Roland Garros, em 2015. O argentino superou seu compatriota Federico Delbonis nas oitavas em sets diretos, também nesta quarta-feira.

Apesar de ter tirado o croata Marin Cilic, cabeça de chave número 1 do Rio Open e atual número 3 do mundo, o francês Gael Monfils não mostrou grande otimismo após a partida.

"Não acho que já esteja tão bem e nem perto do meu melhor tênis. Errei várias coisas que normalmente não erraria. Não estou na minha melhor forma, ainda venho me recuperando depois da lesão e não é fácil voltar. Preciso de tempo e a melhor maneira é continuar treinando e lutando", avaliou o francês, que revelou ter superado também problemas no treino antes do jogo.

Do outro lado, Cilic destacou o rival e falou sobre as condições de jogo, que dificultaram para ele. "Gael jogou uma partida muito boa, foi muito sólido e devolveu muito bem devolvendo todas as bolas. A quadra estava um pouco escorregadia e não encontrei o meu melhor ritmo", disse o croata, que não descartou jogar o Rio Open novamente no futuro.

"Penso em voltar sim, foi uma grande experiência e essa foi uma das razões pelas quais eu vim. Sei que o saibro não é minha superfície favorita, mas serve de preparação. Queria jogar mais partidas, mas as condições que encontrei foram difíceis de se adaptar", finalizou Cilic.

Também pela parte de cima da chave, o uruguaio Pablo Cuevas levou um susto no começo contra o português Gastão Elias, mas depois deslanchou e venceu com o placar final de 7/5 e 6/1. Nas quartas, o sétimo pré-classificado e campeão de 2016 terá como oponente chileno Nicolas Jarry.

Outra partida de quartas definida terá de um lado Fabio Fognini e do outro Aljaz Bedene. O italiano derrotou de virada o norte-americano Tennys Sandgren, com parciais de 4/6, 6/4 e 7/6 (8-6), ao passo que o esloveno surpreendeu o espanhol Pablo Carreño, terceiro pré-classificado, com 6/2, 5/7 e 6/2.

Fognini saiu bastante irritado da Quadra 1, onde atuou. Para o italiano, que normalmente atua na quadra central, as condições estavam muito ruins, com problemas no quique da bola.

"Lutei. As condições estão muito difíceis e está muito ruim, a quadra não está boa (...) Espero obviamente não jogar na Quadra 1 porque não está boa. Não é uma quadra, creio, para um ATP 500. Porque a bola quica mal, está ruim, vamos ver… é minha opinião", detonou Fognini.

Publicidade