Segundo mais velho a disputar Davis, Ramiro Benavides busca título em Porto Alegre

Início    /    Notícias    /    Segundo mais velho a disputar Davis, Ramiro Benavides busca título em Porto Alegre
Por Raphael Favilla  •  29 de Novembro de 2017

Pelo quarto ano seguido, o boliviano Ramiro Benavides está em Porto Alegre para a disputa do 32º Banco Agiplan Seniors Internacional de Tênis de Porto Alegre – Copa Yone Borba Dias e vai buscar sua primeira conquista desde 2014 na Associação Leopoldina Juvenil. O torneio é o maior da categoria mundial com Graduação A para o ranking da Federação Internacional de Tênis.

Segundo do mundo e principal favorito na categoria 70 anos, Benavides se destacou no tênis adulto com 15 anos, foi semi do Orange Bowl, um dos maiores do mundo do juvenil, e foi recrutado pela Universidade de Chorpus Christi, no Texas, onde se desenvolveu para ter uma ótima carreira no profissional a partir de 1971. Derrotou o italiano Adriano Pannatta, então entre os 10 melhores do mundo em 1975 em Florença, na Itália. No ano seguinte o italiano ganhava Roma e Roland Garros e se tornava um dos cinco melhores do mundo.

Ainda disputou oito duelos por seu país na Copa Davis, um deles no Leopoldina Juvenil em 1971 contra o forte time de Thomaz Koch e Edison Mandarino perdendo por 5 a 0, mas se tornou o segndo jogador mais velho a disputar a competição em 2003 com 56 anos de idade - perde apenas para Gadonfin Yaka de Togo que jogou com 60 anos.

"O problema é que eu era sozinho na Copa Davis quando jogava, se eu perdia um ponto a eliminatória ficava perdida, era duro pra mim, às vezes conseguia, mas precisava um parceiro. Em 1986, 1987 me chamaram para ser capitão da Copa Davis, e em 2003 tinha 56 anos e jogavamos o Grupo III da Copa Davis, perdemos de El Salvador, eu como capitão-jogador que a Federação Boliviana me colocava, tive que jogar uma dupla, os dois de simples estavam muito cansados, fizemos um bom jogo, mas perdemos no último set, no primeiro set estavam jogando em cima de mim, do velinho, mas eu jogava muito bem e eles no seguinte mudaram para ir em cima do outro, joguei com Javier Taborga. Foi uma experiência muito boa, não me surpreendi na época pois pensava que podia entrar pois algum deles lesionando teria que estar pronto, estava bem, pronto,deu pra jogar bem", lembrou Benavides que em sua carreira somou vitórias sobre Thomaz Koch.

Começou no Seniors há cinco anos por um amigo paraguaio que joga na Bolívia e espera revalidar, quatro anos depois, a conquista na capital gaúcha e sonha avançar ao topo do ranking onde ocupa o segundo lugar:

"Comecei a gostar, ganhar e ganhar e foi ótimo. Hoje eu jogo os torneios Grau A, Grau 1 e Mundiais. Vou nos torneios que para mim são bons como este daqui. Ganhei o torneio primeiro que vim aqui depois perdi do alemão Gerd Dahmen que esse ano não veio, queria enfrentá-lo, pegar uma revanche. O clube melhorou muito, sempre foi bonito, fizeram uma reforma muito boa. A expectativa é boa de ganhar o torneio e buscar o número 1 do mundo para o ano que vem".

Natural de La Paz, Benavides se casou com uma brasileira, morou por nove anos em São Paulo e hoje dá aulas e desenvolve o tênis em Santa Cruz de la Sierra. Ele se mostra preocupado com o momento atual e o futuro do tênis em seu país.

"Hoje em dia falta infra-estrutura, a Federação é comandada por empresário só que eles não vão atrás das empresas, pegam o dinheiro que a Federação Internacional de Tênis dá e só investem em juvenis e pagam passagens para a Copa Davis. Não há nada que ajude os atletas, o governo do país não ajuda, deveria fazer igual ao Brasil descontando nos impostos, Lei de Incentivo, isso seria bom para a Bolívia".

Benavides se mostra preocupado com o que o atual presidente da federação local, Alvaro Guzmán Bowles, pode fazer e explica o motivo por não estar envolvido diretamente nos cargos diretores: "Está querendo trazer tudo para La Paz, está no primeiro ano, mas é difícil pois é difícil jogar lá, todos os torneios são nível do mar, é um jogo diferente lá em La Paz, você não consegue bater, é um jogo de toque, como entrou agora vamos ver o que faz ano que vem. Nunca me chamaram porque são Associações e todos quase são empresários, poucos sabem de tênis, eles votam e vêem quem da turma pode entrar, eles não gostam porque você vai trocar a estrutura que têm, a ITF manda dinheiro e eles põe no bolso, viajam com a esposa, filhas, leva dois, três jogadores, ao invés de levar médico, fisioterapeuta".

Benavides estreia em Porto Alegre apenas na quinta-feira contra o vencedor do duelo entre os brasileiros Antero Bicca e Nelson Loitzenbauer.

Favoritos estreiam nesta quarta-feira. Gaúcho inicia busca pelo título nos 50 anos

A quarta-feira marca o dia das estreias dos principais favoritos em diversas categorias em rodada com 48 jogos que começa a partir das 9h. Nos 75 anos masculino, o alemão Klaus-Jurgen Klien, número 5 do mundo e atual campeão, inicia a busca pelo bicampeonato diante do brasileiro Walter Spieker. Klein treinou nesta terça com John Powless, número 1 do mundo nos 85 anos e que revelou nomes como Arthur Ashe e deu o primeiro emprego na vida de Nick Bolletieri. Nos 65 anos, o francês Bruno Renoult, vice-líder do ranking mundial, enfrenta João Fernando Altmayer.

Klaus Klein (Foto: Gustavo Werneck)

John Powless (Foto: Gustavo Werneck)

 

Nos 50 anos, o gaúcho Eurico Carvalho, vice-campeão em 2015 e 2016, vai em busca do troféu e enfrenta na estreia um brasileiro, Ricardo Hoerde ou Mozael Strack. Eurico é natural de Porto Alegre tem a empresa GMS que fabrica roupas dry-fit há 30 anos e possui duas lojas, uma na Leopoldina Juvenil há 12 anos e outra em Caxias do Sul: "Jogava desde o juvenil, mas não consegui seguir como profissional e mais pra frente fui ficando na expectativa para chegar aos 35 para jogar o circuito Seniors. Disputo este evento desde então, muito legal jogar aqui, mas uma pressão a mais também pois preciso conciliar minha loja, meu trabalho com os treinos e buscar essa concentração para poder jogar", apontou Eurico que vai buscar seu primeiro título na categoria. Ele levantou o troféu em 2013 na categoria 45 anos. Para esta edição a expectativa é de alcançar as finais

"Vou jogo a jogo, como dizem peixe é pescado e jogo é jogado, tenho uma chave boa, acredito que dê para chegar nas finais, estou pronto".

Nos 60 anos, Amadeu Façanha, brasileiro e quarto do ranking, enfrenta Wilson Emilio da Silva. Nos 45 anos do masculino Clayvert Gusmão medirá forças diante de Rubens Souza ou Daniel Haberer. Nos 55 anos, Ricardo Tomb, sétimo do mundo, mede forças contra Sérgio Shaidhauer ou Washington Lima. No feminino nos 45 anos a peruana Carla Rodriguez, segunda do mundo, pega a brasileira Idenir Medeiros.

Cerimônia de Abertura

A quadra central da Associação Leopoldina Juvenil receberá nesta quarta-feira, às 20h, uma solenidade de abertura da competição.

Pelo segundo ano consecutivo o torneio é o maior do país no Seniors e conta com pontuação Grupo A, a mais alta graduação de pontos para o ranking mundial da Federação Internacional de Tênis.

A competição tem 260 atletas de 17 países. Além do Brasil estarão representados a Alemanha, Áustria, Itália, França, Portugal, Grã-Bretanha, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Bolívia, Estados Unidos, México, Venezuela, Nova Zelândia e Canadá.

Resultados desta terça-feira (28/11):

1ª Rodada

75M - Walter Spieker (BRA) 6/0 6/3 João Thomaz Filho (BRA)

65M - Primo Ocaranza (CHI) 6/4 6/4 Antonio Ribeiro (BRA)

65M - João Fernando Altmayer (BRA) 6/2 6/1 Paulo Vasconcelos Jr. (BRA)

65M - Carlos Paz (BRA) 6/2 7/5 Pedro Vicente Filho (BRA)

60M - Ricardo Zapata (ARG) 2/6 6/4 6/4 Alberto Kieling (BRA)

60M - Wilson Emilio da Silva (BRA) venceu por WO Carlos Amorim (BRA)

60M - Eduardo Vargas (PER) 6/4 6/0 Wilson Bertei (BRA)

60M - Sergio Hansen (BRA) venceu por WO Sigmar Klein (BRA)

60M - Maurício Castano (BRA) 6/2 6/0 José Gilbertinho (BRA)

60M - Antenor Silva Filho (BRA) 4/6 6/2 6/2 Nelson Germann (BRA)

60M - João Sucupira (BRA) 6/2 6/4 Alexandre Selk (BRA) 6/2 6/4

60M - Sergio Ocaranza (CHI) 1/6 6/2 7/6 (7/4) Claúdio Queiroz (BRA)

55M - Sérgio Schaidauer (BRA) 6/1 6/3 Washington Lima (BRA)

55M - Luis Ocaranza (CHI) venceu Silviomar Bohm (BRA) por WO

55M - André Luiz Bohrer (BRA) 6/0 2/1 desistência Carlos Fortes (BRA)

55M - Timm Antonio (BRA) 6/1 6/0 João Maria de Medeiros (BRA)

50M - Nelson Cunha (BRA) 6/0 6/1 Nilton Filho (BRA)

50M - Fernando Furtado (BRA) 6/3 6/1 Gelson Luiz (BRA)

50M - Ricardo Hoerde (BRA) 3/6 6/1 6/4 Mozael Strack (BRA)

50M - Paulo Carazo (BRA) 6/3 7/5 Robson Bueno (BRA)

45M - Célio Borges Filho (BRA) 6/0 6/0 Leandro Soares (BRA)

45M - Rubens Souza (BRA) venceu por WO Daniel Haberer (BRA)

45F - Ana Flávia Peixoto (BRA) 6/0 6/1 Marcia Pelanda (BRA)

45F - Maria Daiello (BRA) 7/5 6/3 Idenir Medeiros (BRA)

Publicidade