Virada indigesta

Início    /    WTA    /    Virada indigesta
Por Raphael Favilla  •  13 de Abril de 2019

A ótima campanha de Beatriz Haddad Maia no WTA de Bogotá chegou ao fim na tarde deste sábado. Depois de ter vencido cinco jogos seguidos no saibro da capital colombiana, sendo dois no quali e mais três na chave principal, a número 1 do Brasil e 165ª colocada no ranking parou na semifinal do torneio, superada pela norte-americana de 17 anos e 76ª colocada Amanda Anisimova por 4/6, 7/6 (7-2) e 6/2 em 2h38 de partida.

"Apesar da derrota hoje, fiz uma boa semana aqui em Bogotá, com uma boa sequência de jogos. Não foi do jeito que eu esperava, mas bola pra frente, vou seguir trabalhando", disse Bia Haddad Maia após a derrota. A campanha na Colômbia 128 pontos à brasileira e a leva para a posição 124 do ranking.

A brasileira começou bem a partida, tendo bom aproveitamento em seu primeiro serviço. Apesar de ter seu serviço quebrado uma vez, Bia Haddad conseguiu impor seu jogo e conseguiu quebrar o serviço da adversária, por duas vezes, e venceu por 6/4.

Na segunda parcial, muito equilíbrio em quadra. Sem quebras de serviços, o set teve que ser decidido no tiebreak, onde Anisimova foi mais eficiente e conseguiu venceu por 7/6 (2), forçando o último set.

Na última parcial, Bia Haddad esteve longe do nível que vinha apresentando durante a semana. Sem muita concentração, a brasileira não conseguiu ser efetiva em seu serviço e Anisimova, aproveitando-se disso, conseguiu quebrar o serviço da adversária, por três vezes, e venceu o set por 6/2 e o jogo por 2 sets a 1.

"Eu estava esperando um jogo muito difícil, porque ela é muito boa, especialmente no saibro. Então esta é uma grande vitória para mim", disse Anisimova após a partida. "Foi um jogo muito duro, em três sets. Estou muito feliz com a forma como joguei e como superei cada desafio", comentou a jovem norte-americana.

Anisimova, que vai à sua segunda decisão em nível WTA e busca o primeiro título enfrenta na final do Claro Open Colsanitas a surpreendente australiana Astra Sharma, que bateu a favorita espanhola  Lara Arruabarrena por 2 sets a 0. O duelo ocorre neste domingo, às 13h, horário de Brasília.

Depois de ter alcançado o 58º lugar do ranking em setembro de 2017 e repetido essa marca em fevereiro de 2018, Bia sofreu com lesões no punho esquerdo e nas costas e chegou a fazer uma cirurgia para sanar as dores de uma hérnia de disco lombar. A canhota paulista caiu bastante no ranking e tenta recuperar posições neste início de temporada. A campanha rende 128 pontos, sendo 110 da chave principal e 18 do quali, e a reaproxima do 120º lugar. No próximo fim de semana, ela defende o Brasil pelo confronto contra a Eslováquia pelos playoffs do Grupo Mundial II da Fed Cup, fora de casa.

Bia segue tentando se tornar a quarta jogadora brasileira a conquistar um título de WTA em simples. Maior nome da história do tênis brasileiro e vencedora de sete títulos de Grand Slam em simples entre 1959 e 1966, Maria Esther Bueno conquistou três títulos na fase profissional do esporte, o último em 1974 no Japão. Além dela, Niege Dias e Teliana Pereira venceram dois torneios cada. Um dos títulos de Teliana foi exatamente em Bogotá, em 2015.

Publicidade